porque-o-estresse-cronico-engorda

O estresse causa aumento do cortisol (hormônio do estresse) levando ao aumento da fome, insônia, fadiga, irritação, etc.
No estresse o cérebro se comporta como se um perigo estivesse prestes a acontecer e comanda a liberação do cortisol que prepara o corpo para lutar ou fugir, para isso é necessário energia extra, fazendo com que aumente muito a vontade de comer alimentos altamente calóricos, como o doce e a gordura, levando ao ganho de peso.
O estresse diminui serotonina, que eleva a vontade de comer doce. O doce causa pico de açúcar no sangue, pico de insulina e conseqüentemente aumento de gordura abdominal.
A gordura abdominal produz substâncias inflamatórias que causam o risco de doenças cardiovasculares, diabetes, pressão alta, etc.
O estresse também enfraquece o sistema imunológico, predispondo o organismo às infecções.
Além do estresse ambiental, outros fatores que aumentam o cortisol são:

  • Excesso de bebida alcoólica
  • Jejum prolongado
  • Dieta da proteína. A quantidade exagerada de proteína eleva o nível de cortisol

Dicas para reduzir os efeitos negativos do cortisol

  • Atividade física regular
  • Não pular refeição
  • Alimentação balanceada (proteína magra, carboidrato integral, boas gorduras, verduras, legumes e frutas) em quantidade moderada
Por: Neuza Cavalcanti

emagrecimento-saudavel

  • Fazer reeducação alimentar, ou seja, aprender a comer com qualidade e na quantidade adequada
  • Fracionar as refeições em 5 a 6 vezes ao dia e de 3 em 3 horas
  • Nunca pular refeição, quando o jejum é prolongado o organismo libera menos leptina (hormônio da saciedade) e mais grelina (hormônio da fome)
  • Comer devagar, pois o cérebro leva 20 minutos para perceber a saciedade. Estudos mostram que comer rápido come-se 40% mais
  • Trocar carboidratos refinados por integrais
  • Escolher proteínas magras (peixe, frango, carne magra, leite desnatado, queijo branco, etc.) e gorduras monoinsaturadas (castanha de caju, castanha do Pará, amêndoa, nozes, azeite de oliva, abacate, etc.) e gorduras poli-insaturadas (salmão, sardinha, atum, linhaça, chia, etc.)
  • Trocar a fritura por assado, cozido ou grelhado
  • Frutas, verduras e legumes devem fazer parte do plano alimentar diário
  • Não ter em casa os alimentos que despertam o comer compulsivo
  • Planejar sempre o que vai comer
  • Beber 6 a 8 copos de água ao dia
  • Não ser sedentário
Por: Neuza Cavalcanti

dicas-para-nao-engordar-nas-confraternizacoes

  • Para compensar o consumo de calorias extras, fazer todas as refeições do dia com itens mais magros
  • Não vá para confraternização de estômago vazio, faça uma refeição leve antes
  • Não comer exageradamente. Comer o que mais gosta sem precisar repetir o prato
  • Montar o prato com a comida de sua preferência, evite experimentar tudo
  • Fazer alguma atividade física nesse dia
  • Não repita a sobremesa
  • Prefira os assados. E quando comer uma fritura, pegue um pedaço menor, pois aumenta em até 3 vezes o seu valor calórico
  • Não permaneça na mesa após comer, pois evita o impulso de comer mais
  • Beber bebida alcoólica sem exagero, uma boa solução é alternar com água. Bebe-se menos, e fica hidratado, evitando assim ressaca no dia seguinte
Por: Neuza Cavalcanti

dicas-para-emagrecer

  • Não fazer dieta restritiva, pois a chance de desistir é muito grande, ficará sem energia e com desânimo
  • Não ter alimento irresistível em casa
  • Nunca pular o café da manhã
  • Lembrar que o alimento mesmo saudável em grande quantidade engorda
  • Não repetir o prato
  • Não desanimar se extrapolar em algum momento, o importante é no dia seguinte retomar a dieta
  • Não ficar muitas horas sem comer, porque então terá muita fome e assim irá exagerar na próxima refeição
  • Não comer por impulso, planejar o que vai comer ajuda a fazer escolhas saudáveis
  • Mastigar bem os alimentos e comer devagar para dar tempo ao cérebro perceber a saciedade
  • Para emagrecer e não engordar novamente, a única receita infalível é a mudança de hábito (reeducação alimentar e atividade física regular)
Por: Neuza Cavalcanti

dicas-que-previnem-doenças-cardiovasculares

  • Consumir diariamente verduras, legumes e frutas de cores variadas. Esses pigmentos são potentes antioxidantes, que combatem os radicais livres que causam varias doenças crônicas, entre elas as cardiovasculares
  • As hortaliças e frutas também têm flavonoides que impedem a oxidação do LDL (colesterol ruim) nas artérias e conseqüentemente a formação de placas de gorduras
  • Consumir no mínimo 02 vezes por semana peixes (salmão, sardinha, atum, etc.) que são fontes de ômega – 3 que reduzem triglicérides e colesterol, e aumenta a fluidez do sangue reduzindo a pressão arterial
  • Consumir carne vermelha magra no máximo 02 a 03 vezes por semana
  • Consumir frango sem pele
  • Consumir feijão magro que é rico em fibras que contribui para reduzir o colesterol
  • Consumir menos alimentos industrializados que são ricos em sódio e que aumentam a pressão arterial. E usar menos sal ao preparar o alimento
  • Consumir gordura monoinsaturada (azeite de oliva, oleaginosas, abacate), que diminui LDL e aumenta o HDL (bom colesterol)
  • Consumir sementes de chia, de linhaça, etc. que são repletas de gordura boa, vitaminas, minerais, antioxidantes, fibras solúveis (reduz colesterol) e insolúveis (melhora o funcionamento intestinal)
  • Consumir leite e derivados magros
  • Evitar frituras, excesso de gordura saturada, gordura trans e alimentos refinados
  • Não ser sedentário
  • Emagrecer se estiver acima do peso
Por: Neuza Cavalcanti

trocas-que-ajudam-a-emagrecer

  • Trocar o leite integral pelo desnatado. A caloria reduz a metade
  • Trocar a fritura pelo assado ou cozido ou grelado. A fritura aumenta 03 vezes o valor calórico do alimento
  • Trocar os cereais refinados pelos integrais. As fibras presentes nos cereais integrais melhoram a função do intestino e dão mais saciedade, ajudando no emagrecimento
  • Trocar o queijo amarelo pelo branco. O queijo amarelo possui uma grande quantidade de gordura saturada
  • Trocar a batata frita pela assada. A fritura além de agregar muita caloria, o excesso de óleo causa inflamação no organismo
  • Trocar o macarrão com molho branco pelo macarrão com molho de tomate. O molho de tomate além de ter um valor bem reduzido de calorias, é repleto de antioxidante (licopeno)
  • Trocar a farinha de rosca pela aveia. A aveia por ter fibra, dá saciedade
  • Trocar o doce pela fruta desidratada ou a fruta in natura
  • Trocar os vegetais refogados por vegetais grelhados ou no vapor
  • Trocar o refrigerante pela água de coco
  • Trocar a manteiga pelo requeijão cremoso light
  • Trocar os temperos industrializados pelos naturais. O excesso de sódio além de causar inchaço, predispõe a pressão alta
  • Trocar o sedentarismo pela atividade física
Por: Neuza Cavalcanti

dicas-para-reduzir-gases

  • Não deitar logo após as refeições
  • Fracionar as refeições em 05 a 06 vezes ao dia e em pequenos volumes
  • Comer devagar e mastigar bem os alimentos
  • Evitar comidas gordurosas e frituras
  • Trocar os carboidratos refinados por carboidratos com fibras
  • A fibra tem que fazer parte de todas as refeições em quantidade moderada, pois em excesso causa distensão abdominal
  • Comer doces com moderação
  • Excesso de líquidos durante as refeições dilui o suco gástrico e dificulta a digestão
  • Não ser sedentário. A atividade física ajuda no funcionamento intestinal
  • O excesso de bebidas gaseificadas (refrigerante, água com gás, cerveja, etc.) aumenta a formação de gases
  • Leite e derivados quando existe uma intolerância a lactose. A solução é substituir por laticínios sem lactose
  • O excesso de glúten aumenta gases, porque é uma proteína de difícil digestão
  • O excesso de soja também causa gases
  • Beber pouca água ao dia aumenta gases
  • O estresse aumenta a acidez estomacal interferindo na digestão
Por: Neuza Cavalcanti

Na categoria: Dica

diabetes

O diabetes pode ser controlado com uma alimentação equilibrada, moderada, fracionada e rica em fibras. O controle na quantidade de carboidrato e evitar o consumo de doces são de fundamental importância. Fazer atividade física regularmente, e uso de medicamento, prescrito pelo médico, se necessário. Mantendo esses cuidados evitam-se as complicações do diabetes (cegueira, amputação, doenças cardiovasculares, insuficiência renal, etc.).

Dicas importantes

  • Não comer mais de uma fruta por refeição, pois elas são ricas em frutose (açúcar da fruta), causando pico de açúcar no sangue. Preferir sempre a fruta ao suco
  • O alimento diet é isento (zero) de algum nutriente (observar o rótulo), mesmo sem açúcar, ele pode conter uma maior concentração de gordura, sendo mais calórico do que o original, por exemplo, o chocolate diet. Ter cuidado com a quantidade ingerida
  • As refeições devem ser fracionadas em 6 vezes ao dia, em intervalos de 2 a 3 horas entre elas, e em volumes reduzidos
  • Trocar os carboidratos refinados (pão, arroz, massas, etc.) por carboidratos ricos em fibras (pão integral, arroz integral, massas integrais, etc.)
  • As porções de carboidrato (massa, arroz, pão, batata, leite, iogurte, feijão, farinha, frutas, etc.), devem ser monitoradas. Os carboidratos devem fazer parte de todas as refeições, não pode haver excesso desse nutriente por refeição
  • O consumo de canela, de farelo de aveia, de linhaça, de quinua, de chia, de frutas com bagaço e casca (quando possível), de hortaliças, e de fibras em geral, diminuem a glicemia (açúcar no sangue)
  • Escolher sempre proteínas magras (frango sem pele, peixe, carne vermelha magra, queijos magros, leite desnatado, etc.)
  • Preferir as gorduras monoinsaturadas (azeite de oliva, oleaginosas, abacate, etc.) e as poli-insaturadas (salmão, sardinha, atum, semente de linhaça, chia, quinua, etc.)
Por: Neuza Cavalcanti
Inscreva-se em nossa Newsletter e receba nossos artigos via e-mail Gratuitamente!